No próximo fim de semana, o Brasil recebe um dos mais famosos festivais de música do mundo, o Lollapalooza. Pela quinta vez, a cidade de São Paulo sediará shows de mais de 50 artistas de gêneros que vão do indie rock ao pop, passando, claro, pela música eletrônica, que tem sempre um palco garantido, este ano batizado de Trident at Perry’s.

Destrinchamos o line-up eletrônico do Lolla 2016 para os clubbers que pretender se jogar na pista e dividimos em duas reportagens, com perfis dos artistas e recomendações divididas por dia. O sábado (12/3) é dedicado a vertentes mais tradicionais, com DJs tocando principalmente house e techno –o headliner da noite é o holandês Kaskade, mas o principal destaque, que toca na hora do DJ-sensação Alok, é o grupo sul-africano Die Antwoord, que mostra pela primeira vez por aqui sua mistura de beats eletrônicos, hip-hop e bass envolta numa estética de terror instigante. Já no domingo (13/3), vertentes mais pop e ligadas ao hip-hop eletrônico dominam as atrações, com o grande show do Jack Ü (projeto de Skrillex e Diplo) sendo o mais aguardado.

Se você ainda não garantiu ingresso, é possível comprar aqui. Confira a programação completa e as atrações por dia no site oficial do Lolla.

Sábado, 12/3
O que você não deve perder: Die Antwoord
O que pode surpreender: RL Grime

DJ Zerb (às 13h no palco Trident at Perry’s)
O jovem paulistano começou a produzir música eletrônica em 2012, com apenas 15 anos de idade. Hoje, com apenas 19, já é uma das atrações da tenda eletrônica do Lolla. Em dois anos como DJ, chamou atenção de artistas como o Vintage Culture, com quem também já colaborou em faixas e remixes. O som? Techno com pitadas de house progressivo.

Groove Delight (às 14h no palco Trident at Perry’s)
Ké Fernandes, a jovem paulista que se apresenta como Groove Delight, faz sets de electro e techno. Na bagagem, a moça, que faz parte do mesmo selo do Vintage Culture, traz influências de estilos como rock e new wave, o que resulta em sets de aura um tanto dark, com bpm elevado para dançar.

Matthew Koma (às 15h no palco Trident at Perry’s)
O cantor norte-americano de 28 anos faz uma mistura de pop com música eletrônica. Traduzindo em português bem claro, é EDM puro. Ele começou mergulhando no punk rock, mas descobriu a música eletrônica e hoje colabora com a nata do EDM mundial. Já tem gravações com DJs como Hardwell, Zedd, Miriam Bryant, Sebastian Ingrosso, Alesso e Tiesto.

A-Trak (às 16h15 no palco Trident at Perry’s)
O canadense A-trak começou a carreira bem cedo, ainda na adolescência, quando ganhou diversos prêmios mundiais de melhor DJ. Seu trabalho eletrônico sempre flertou com hip-hop e bass sounds, o que o transformou no DJ oficial de Kanye West, com quem trabalhou inclusive na produção de alguns álbuns do astro de rap. Dono do label Fool's Gold, ele é um especialista em turntablism e um ícone da street culture. Seus sets misturam rap (claro!), house e pop.

RL Grime (às 17h30 no palco Trident at Perry’s)
Com apenas 25 anos, o californiano é adepto da mistura de dubstep, trap e hip-hop com beats eletrônicos. Um dos destaques do som é a atmosfera que ele cria em seus shows, ora calma, ora pesada e soturna. Seu primeiro disco, “Void”, lançado em 2014, foi muito bem recebido pela crítica especializada –seu primeiro EP foi lançado pelo selo do A-Trak.

Flosstradamus (às 18h45 no palco Trident at Perry’s)
Mais um duo da turma do electro-hip hop com toques de dubstep, trap, bass e vocais recheados de rimas. No entanto, os caras estão na ativa há bastante tempo, desde meados dos anos 2000, quando esse tipo de som ainda era uma grande novidade. Formada por J2K (Josh Young) and Autobot (Curt Cameruci), a dupla já colaborou com artistas como Kid Sister, Diplo, Three 6 Mafia's Juicy J, The Cool Kids e A-Trak. Também produziu músicas de Iggy Azalea e Mykki Blanco.

Alok (às 20h15 no palco Trident at Perry’s)
Considerado um dos DJs de maior destaque na cena nacional (o que justifica a posição de destaque no line-up do Lolla), o brasiliense Alok começou a carreira bem jovem, influenciado pelos pais, Ekanta e Swarup, dois DJs pioneiros na música eletrônica nacional. Seu som é eletrônico para massas: hard techno com roupagem um tanto comercial e toques de house e house progressivo. No ano passado, Alok foi o brasileiro melhor colocado no ranking anual de melhores DJs do mundo da revista inglesa DJ Mag, ficando na 44ª posição.

Kaskade (às 21h30 no palco Trident at Perry’s)
É um dos produtores veteranos que há mais tempo aposta na mistura entre pop e música eletrônica, o famoso EDM –ele está na ativa desde a década de 1990, para se ter uma ideia. Ex-skatista, o norte-americano atrai multidões a seus shows –não à toa, é o único artista de EDM que se apresentou no palco principal do megafestival Coachella.

Die Antwoord (às 20h15 no palco Axe)
A banda sul-africana mostra pela primeira vez no país seu espetáculo com toques de terror. Tudo, segundo a dupla vocalista -- Ninja e Yo-Landi Vi$$er— é feito realmente para chocar. A mistura de hip-hop e música eletrônica conquistou legiões de fãs no mundo inteiro e muitos dos videoclipes, que seguem essa estética de horror, tornaram-se virais. Se a pegada for ter uma experiência diferente num show, a dica é não perder o Die Antwoord, que vem mostrar a turnê do último disco “Donker Mag”.

Tame Impala (às 18h35 no palco Skol)
O grupo australiano surgiu como uma banda de rock psicodélico com roupagem moderninha, que lançou dois discos repletos de guitarras progressivas. Em 2016, eles voltam ao país para apresentar a turnê do último álbum, "Currents", de 2015, que é mais carregado nos sintetizadores. Faixas como "Let It Happen" mostram que eles foram fisgados pela música eletrônica.

Domingo, 13/3
O que você não deve perder: Odesza
O que pode surpreender: Duke Dumont

Funky Fat (às 12h30 no palco Trident at Perry’s)
Direto de Minas Gerais, o quarteto formado por Thiago Guimarães, Gui Santoro, Rafael Cury e Manu d´Alcântara faz uma mistura dançante que remete a estilos como indie rock e deep house. O som do Funky Fat é tão fresh que eles já lançaram faixas pelo selo Hot Creations, do DJ inglês Jamie Jones. o disco de estreia do grupo chama-se “Fat Noise” e foi lançado ano passado pela Skol Music.

Jack Novak (às 14h30 no palco Trident at Perry’s)
A norte-americana é representante da cena de EDM. Não há muito o que esperar deste show: música pop com batidas eletrônicas de trance e house, vocais chorosos e dramáticos e nenhuma inovação sonora. Em 2013, Novak foi a DJ da turnê de Pharrell Williams e estourou depois de chamar atenção de Joel Zimmerman, agente de artistas como Deadmau5, Afrojack e Calvin Harris.

Duke Dumont (às 16h45 no palco Trident at Perry’s)
Adam Dyment, nome verdadeiro de Duke Dumont, é um DJ de deep house que tem uma ótima relação com um mundo pop. Ele, inclusive, já escreveu música para artistas como Britney Spears --que nunca foram gravadas. Pela proximidade com esse universo, nos últimos anos, virou uma máquina de hits, lançando faixas que conquistaram as paradas britânicas e as pistas de dança do mundo inteiro (das mais underground às mais pop), como "Need U (100%)", "The Giver" e "Won't Look Back".

Zeds Dead (às 18h no palco Trident at Perry’s)
Direto de Toronto, o duo promove um mix moderno de estilos como UK garage, dubstep, house, electro house e até drum and bass, passando pelo hip-hop, é claro. É aquele tipo de som pesado e intenso, para entrar de cabeça e com vontade.

Zedd 
(às 20h45 no palco Trident at Perry’s)
Jovem produtor russo que ganhou fama com hits de EDM como “Clarity”, que não traz absolutamente nenhuma novidade com relação a outras tracks do estilo. Quem curte house progressivo com toques de trance e muitos vocais pop deve curtir o show.

Odesza (às 17h30 no palco Axe)
Uma das grandes supresas do line-up eletrônico do Lolla é essa dupla eletrônica de Seattle. Donos de um som diferente, que mistura techno, ambient music e bastante experimentalismo para compor uma atmosfera dançante e, não raro, viajante, eles lançaram em 2012 o disco “Summer's Gone”, que foi aclamado entre a crítica e fãs de música eletrônica underground. O hit "Say My Name", com a cantora Young Summer, mostra como eles conseguem se aproximar da música pop sem deixar de lado a originalidade de seus beats.

Jack Ü (às 19h10 no palco Onix)
Uma das apresentações mais aguardadas da noite de domingo é o Jack Ü, duo formado por dois gigantes produtores de música eletrônica atualmente, Diplo e Skrillex. Na discotecagem deles, rola quase tudo: EDM (Calvin Harris e Rihanna, por exemplo), dubstep, bass, hip-hop, electro-house e até Justin Bieber, que participou da faixa "Where Are U Now" da dupla e ganhou até um Grammy. Grande parte do set list é composta por remixes de Diplo, Major Lazer e Skrillex, além de outros trabalhos feitos pelos dois (e também músicas do álbum de estreia do Jack Ü, de 2015). É aquele típico show para grandes arenas, com DJs superstars conduzindo diferentes públicos para curtir dance music. A expectativa é a participação do MC Bin Laden neste show do Lolla, já que Diplo já andou conversando com o funkeiro brasileiro. Será?

Jungle (às 19h no palco Axe)
A banda inglesa estourou em 2014, após lançar um excelente disco de estreia que mistura o classudo funk dos anos 1970 com música eletrônica. Eles já passaram pelo Brasil no ano passado e mostraram que, ao vivo, a banda é de fato muito enérgica, como disseram diversas críticas ao redor do mundo. Mas, sem nada lançado desde então, esperamos que eles tragam coisas novas na bagagem. Apesar de incrível, o hit "The Heat" já foi tocado por aí exaustivamente, né?